Matei o meu carro!

Já à algum tempo que tinha um monte de sucata à frente de casa. Era o meu automóvel que resolveu meter-se em avarias de resolução bastante cara, o que levou ao seu fim inevitável: o abate.
Desde que o meu automóvel parou tenho andado mais de bicicleta, a pé e de transportes públicos. Mesmo assim sei que ainda poderia fazer mais. Não pensei ainda em comprar outro automóvel mas, infelizmente para mim quer por motivos profissionais quer por motivos pessoais, vou ter que o fazer. Agora o que me chateia é o incentivo oferecido na compra de carro novo. Não deveria haver também igual incentivo à utilização da bicicleta e de transportes públicos? Por exemplo, no meu caso: não tenho hipóteses de comprar carro novo, ou melhor, tenho consciência que não é uma boa decisão financeira apesar da maior parte do povo comprar carros novos mesmo sem poder. Não poderia então escolher usufruir desse incentivo ao abate de veículos em fim de vida sobre a forma de bilhetes, descontos em bicicletas e material para bicicleta? Penso que seria justo.

Autor: rui

Partilha no

5 Comentários

  1. Está tudo estudado para um estilo de vida padronizado e onde o carro ocupa um peso desmesurado.
    Tenho um carro com 20 anos, que felizmente não me tem dado problemas e serve para quando é necessário. Não faço tensões de comprar novo, já lá vai o tempo em que trabalhava para pagar o carro!

    [Responder]

    usaralho Resposta:

    É exactamente essa a vida de muita gente. Trabalhar para pagar ou alimentar o carro. Já sabemos que não é só por gasolina mas na maior parte dos casos o povo só faz as contas ao combustível. Na verdade o meu carro de sonho, para quando é necessário como dizes, é um Citroen 2CV daqueles com caixa tipo carrinha 😛

    [Responder]

    Sérgio Resposta:

    Essas carrinhas 2cv são simpáticas… e dão para transportar bicicletas dentro! 🙂

    [Responder]

    David Grave Resposta:

    Parabéns O site esta Muito bom, muito cuidado dedicação e bom gosto. Fique Fã e vou divulgar.

    PS: é bom sentirmos que não estamos sozinhos no gosto pelas biclas (nome que dávamos cá na terra as nossa maquinas, isto em tempos distante 😀 )

    David Grave

    [Responder]

    usaralho Resposta:

    Obrigado 🙂

Comenta:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *