PR1 – Da Pateira ao Águeda – Percursos pedestres de Águeda

PR1-Da Pateira ao Águeda

PR1-Da Pateira ao Águeda

Apesar de o ter feito várias vezes de bicicleta sozinho, ando já à algum tempo para o fazer da maneira própria para que foi criado: a pé.
O percurso pedestre PR1 – Da Pateira ao Águeda desenrola-se por ambientes naturais ou já um pouco alterados pelo homem sendo o menos agradável a travessia de estrada alcatroada. Amieiros, freixos, carvalhos, loureiros, choupos e (infelizmente) eucaliptos fazem parte da paisagem assim como caniço e outras espécies próprias de zonas húmidas.
Quanto às espécies animais da zona temos: Milhafre-preto, Garça Real, Águia-sapeira, Águia-de-asa-redonda, Guarda-rios, Perna-longa, Pato-bravo (bem mansos em algumas zonas), Galeirão e muitas mais espécies podemos descobrir se tivermos a sorte, paciência e conhecimentos para as distinguir. Na verdade a diversidade e quantidade desta zona é elevada pelo que não é difícil vislumbrar algumas das espécies sugeridas. Ontem, por exemplo, tive a sorte de ter Águias bem perto de mim e não andava à procura de animais nem os meus conhecimentos são elevados nesse campo.
Grande parte do percurso desenrola-se nas margens da Pateira, rio Cértima e Águeda sendo marcado pela embarcação característica usada ainda hoje em dia pelas gentes locais para a labuta dentro de água: a bateira, que nada mais é do que um pequeno barco simples tradicionalmente de madeira.
Não comecei o percurso dos pontos predestinados mas sim da antiga ponte romana de Requeixo seguindo para Óis da Ribeira fazendo o percurso no sentido horário. Não considero que seja um percurso difícil, existem muitas zonas planas mas convém levar água e alguma coisa que se coma. A Pateira de Espinhel e Óis da Ribeira são zonas de lazer, com espaços de merenda e até um restaurante (não sendo necessariamente um ponto positivo, é aliás muito negativo). Ontem, domingo, estes espaços estavam cheios e para minha surpresa os trilhos estavam a ser bem usados. Portanto bem combinado consegue-se passar um dia inteiro por estas paragens. E um belo dia!
Para quem ficar interessado em fazer o percurso podem aproveitar a iniciativa do Tocacaminhar no dia 1 de Março.

Localização do PR1 Da Pateira ao Águeda
Panfleto informativo:

Agora quanto a um ponto bastante negativo que pude observar durante o dia de ontem: das pessoas que andavam de bicicleta nenhuma e quando digo nenhuma é mesmo nenhuma utilizava capacete! Se a ritmo de passeio pode não ser uma falha grave, a ritmo de btt é uma falha que me enerva e dá má imagem aos ciclistas. A ponto de ter perguntado a um artista que andava de Lapierre toda XPTO pronta para correr, se na loja onde comprou a bicicleta não havia capacetes. Haja paciência para estes palhaços que compram bicicletas para as mostrar.

Autor: rui

Partilha no

2 Comentários

  1. dia 25/maio/2013, mais uma vez fui com amigos fazer o percurso pedonal da pateira de fermentelos (PR1). Sou um amante da natureza e cada vez fosto mais deste percurso.
    Foi a 1ª vez este ano e ia com um certo receio devido ao temporal do inicio do ano, dev

    [Responder]

  2. Mais um avez este ano fui fazer o percurso pedonal da pateira de fermentelos (PR1). Reconheco um certo receio da minha parte devido ao temporal do inicio do ano, tendo duvidas acerca da forma como o percurso se apresentava.
    Dou os parabens aos responsaveis pela C.M.Àgueda, pela forma como cuidam do percurso proporcionando aos caminhantes total segurança, bem como o contacto com as gentes por onde passa o percurso.
    O parque de merendas, encontrava-se cuidado, contribuindo para o prazer e bem estar de quem usa estes espaços de lazer-

    [Responder]

Trackbacks/Pingbacks

  1. A Pateira precisa de policiamento? | usaralho.net - [...] fiz BTT muito por culpa das condições meteorológicas. Ontem fui dar a volta normal até à Pateira,…
  2. PR6 - Trilho de Águeda - Percursos Pedestres de Águeda | usaralho.net - [...] fábricas do lado direito. Este não é definitivamente um trilho pedestre com a mesma qualidade do Da Pateira ao…

Comenta:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *