Oeste com vento de Sul

“Essa barba já merece uma volta de homem” foi o que pensei enquanto olhava para os pêlos de 4 semanas de idade. Se bem o pensei, melhor o fiz, até porque não participei no último BRM, o Midnight Ride e queria fazer um BRM só para mim!
O plano éra fazer cerca de 230kms com luz do dia, ir e vir de Vila Franca de Xira. As luzes dos chineses, daquelas que dizem que tem 18000000 lumens, avariaram e a bicicleta mais própria para estas coisas ainda está na oficina. Cedo se revelou demasiado ambicioso. Muito vento sul dera-me cabo das pernas além de já ter saído de casa às 8:30 da manhã. Pensava que ia disparado para sul com vento de norte e saiu-me tudo ao contrário. A viagem para baixo não tem nada que saber, Nazaré, Caldas, Óbidos, Bombarral, atravessar Montejunto por Vila Verde dos Francos, Alverca. Quando aqui cheguei telefonei a quem esteve no posto de controlo de chegada e parece que a coisa já tinha acabado, o último participante tinha chegado ao meio dia. Porreiro, almoço já por Alverca e volto para cima. Ontem aquela localidade esteve cheia de anjinhos na terra, o que me chateia um bom bocado. Nunca os vi fazer nada de positivo. Mas sempre deve ser melhor que andar na droga. O único restaurante que encontrei aberto estava totalmente ocupado pelos idiotas vestidos de criança (enquanto as crianças vestidas de idiota andavam a correr de um lado para o outro). Bem, lá acabei por encontrar uma churrasqueira tipo self sevice que me matou a fome. Ala que se faz tarde.
O regresso começou por ser lento. As pernas estavam mesmo moídas do vento e ainda ia demorar a assimilar o almoço. Nada de pressas. O importante é chegar a Montejunto, depois dai é sempre a descer ou quase.
montejuntoDeslizar por entre pomares e vinhas, campos verdes a florir, nenhum barulho a não ser o rolar dos pneus e o vento nos abanadores, o que podia ser melhor? Do nada, o sofrimento da manhã parece que valia a pena. Uso uma roda livre Dura-Ave de 5 velocidades que de origem já não é muito barulhenta. Tive o prazer de a lubrificar no outro dia e coloquei também um bocadinho de massa nos linguetes o que fez com que fique totalmente silenciosa! Fantástico. Atenção que lubrificar os linguetes com massa é capaz de não ser boa ideia no que a velocidade diz respeito. Depois do Bombarral a paisagem e, mais importante, os condutores mudam um pouco mas este troço é delicioso.
Café e bolo no Bombarral, siga para Óbidos. Pensando bem, uma ginjinha não tinha sido uma má jogada mas não me podia esticar muito nas paragens. Fica para a próxima até porque mal conheço Óbidos. Para não repetir todo o caminho, cortei para Arelho e depois Foz do Arelho apanhando ainda um bocadinho de terra batida porque decerto me enganei.
Estrada atlântica até S. Martinho do Porto onde me amedrontei e não tomei o caminho pela serra até Nazaré. Pelo que me custou subir ao Sítio, é capaz de ter sido uma boa escolha.
A volta acabou por falta de luz solar, na Burinhosa, já bastante perto de casa. Foi um bom dia.

Autor: rui

Partilha no

Comenta:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *